fbpx

Caso de Coronavírus em cães – o que se sabe até agora

Coronavírus em cão

Caso de Coronavírus em cães – o que se sabe até agora (Covid-19)

Os casos do novo Coronavírus (COVID-19) estão se espalhando pelo mundo, gerando enorme preocupação com uma possível epidemia que pode parar a economia global. Sabe-se que esse vírus causa doença em humanos, porém pouco se sabe a respeito da transmissão e infecção do Coronavírus em cães e em outros animais. Acredita-se que o COVID-19 veio dos morcegos, mas não está esclarecido como ocorreu a transmissão. O fato é que morcegos carregam dezenas ou até centenas de vírus do tipo Coronavírus. Cães podem contrair e transmitir a outros cães o já bem conhecido Coronavírus Canino, que causa problemas gastrointestinais e não atinge seres-humanos.

Mas, em relação ao COVID-19 um fato chamou a atenção de todos. Segundo o Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação de Hong Kong (AFCD) um cachorro foi testado como positivo para Covid-19 (o Novo Coronavírus). O animal infectado era um cão da raça Spitz, também conhecido como Lulu da Pomerânia, que pertencia à uma mulher de 60 anos que estava infectada com o vírus.

Veja a sequência dos fatos em uma linha do tempo:

27 de fevereiro de 2020:

Amostras da cavidade oral e nasal foram coletadas, e os testes acusaram um positivo “fraco” para COVID-19 – ou seja, baixos níveis do vírus nas amostras. O animal entrou em quarentena, sendo observado a partir daí para possíveis sintomas.

28 de fevereiro de 2020:

Amostras foram novamente coletadas das cavidades nasais e orais e os resultados foram positivos mais uma vez

2 de março de 2020:

Novos testes, e dessa vez somente a cavidade nasal acusou positivo. Durante todo esse tempo o animal não apresentou sintomas, e continua assim até as últimas notícias.

Conclusões sobre o caso de Coronavírus em cão

Já se sabe que os Coronavírus podem viver em superfícies e objetos,  podendo se manter infectantes por horas ou até mesmo dias dependendo as condições ambientais em que se encontram. Da mesma forma, o Coronavírus pode estar presente na superfície de um cão ou gato, mesmo que o cão ou gato não tenha realmente contraído o vírus.

Segundo as análises dos resultados, o cão pode ser um hospedeiro “sem saída”, o que significa que o vírus não está se replicando em níveis altos o suficiente para ser transmitido a uma pessoa. No momento, os pesquisadores estão analisando o código genético do vírus encontrado no cão para entender melhor sobre sua origem.

O porta voz da AFCD diz que os resultados não são motivo para pânico. Ainda não existem evidências de que o Covid-19 possa ser transmitido de cães para seres humanos, e nem que os cães possam adoecer com a presença do vírus. No entanto, é recomendado que os tutores de animais tenham atenção com sua higiene pessoal lavando muito bem as mãos além de evitar beijar os animais. O AFCD também recomenda que os animais de pessoas infectadas com o Coronavírus sejam colocados em quarentena, assim como as pessoas.

A Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra Animais (SPCA) e a Organização Mundial da Saúde Animal alegam que não há evidências de que os animais infectados adoeceram com o vírus. Além disso, estar infectado não é a mesma coisa que ser infeccioso e capaz de passar o vírus adiante.

“As evidências atuais sugerem que os cães apresentam o mesmo risco de espalhar o Coronavírus do que objetos inanimados, como maçanetas”, escreveu Sheila McClelland, fundadora da Caridade de Proteção Animal Lifelong (LAP) de Hong Kong, em uma carta que ela compartilhou com a CNN.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, a principal maneira pela qual a doença está se espalhando é de pessoa para pessoa, seja quando as pessoas estão próximas, seja por gotículas respiratórias quando uma pessoa infectada tosse e espirra.

Coronavírus em cão

Para veterinários e especialistas em direitos dos animais, há um problema maior do que a possível disseminação do Coronavírus em cães: a disseminação do medo. Após o anúncio de que o cão de Hong Kong deu positivo, a Caridade para a Proteção dos Animais ao Longo da Vida (LAP) – um grupo que ajuda que realoja animais em Hong Kong – escreveu ao governo, dizendo que o anúncio causou “uma tremenda quantidade de pânico. “Cidades chinesas tiveram relatos de pessoas dizendo que recebiam queixas dos vizinhos que tinham cães, outras iriam abandonar ou até mesmo matar seus animais de estimação aumentando nas últimas semanas o número de animais abandonados.

Até o momento atual, o Covid-19 encontrado no cão não é motivo para pânico. Todas as pesquisas ainda são muito recentes sobre o assunto, mas sabemos que boas práticas de higiene são a melhor forma de prevenção contra a doença. Por conta disso, o melhor a se fazer no momento, é sempre lavar muito bem as mãos ao brincar com seu pet. Caso o proprietário ou alguém da casa esteja com suspeita de Coronavírus, o ideal é evitar o contato com os pets.

Veja o pronunciamento do nosso Médico Veterinário Dr. José Manuel Mouriño sobre esse caso.

Nosso canal no YouTube

Veja mais notícias e informações no nosso Instagram:

Fontes Consultadas:

CNN

ScienceNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Entre em contato